Candidaturas Agricultura e Floresta

Apoio à agricultura via projetos de instalação e modernização de atividades agrícolas, incluindo a instalação de jovens agricultores e expansão ou qualificação de empresas agrícolas.

Apoio a projetos de investimento de florestação, de exploração florestal, de aproveitamento da biomassa ou subprodutos florestais e de limpeza das florestas, quer na criação quer de modernização de empresas do setor.

PDR2020 (Novo PRODER)

O Programa de Desenvolvimento Rural do continente, vulgarmente designado PDR 2020, veio suceder ao anterior PRODER e contempla os apoios concedidos pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural da União Europeia a Portugal para o período de 2014 a 2020.

O PDR 2020 (novo PRODER) apoia o investimento nas explorações agrícolas e empresas agroindustriais, a instalação dos jovens agricultores, e proporciona um acréscimo de valor e de qualidade da produção, aumenta a concentração de oferta e contribui para uma maior adesão aos seguros agrícolas. Este sistema de incentivos aposta também na investigação e inovação através de Grupos Operacionais e Projetos Inovadores. Este programa de incentivos reflete preocupações ambientais através de medidas agroambientais, reforçadas e mais orientadas para os agricultores, mantém o apoio às regiões desfavorecidas e reorienta o Programa LEADER para a agricultura, passando este a ser financiado em complementaridade com os restantes Fundos Europeus Estruturais e de Investimento.

O PDR 2020 (novo PRODER) foi planeado para promover o crescimento sustentável do sector agro-florestal em todo o território nacional. Este programa de incentivos tem como objetivos estratégicos o crescimento do valor acrescentado do sector agro-florestal e a rendibilidade económica da agricultura, a promoção de uma gestão eficiente, a proteção dos recursos e a criação de condições para a dinamização económica e social do espaço rural.

Medidas de apoio ao investimento

O PDR 2020 (novo PRODER) está organizado em 4 áreas e 10 medidas. No que diz respeito ao apoio ao investimento e pela sua importância, apresentam-se seguidamente as principais medidas previstas por este programa de incentivos:

Medida 3. Valorização da Produção Agrícola

Apoio a jovens que se instalam pela 1ª vez na atividade agrícola (jovens agricultores) e apoio a investimentos nas explorações agrícolas destinados a melhorar o desempenho e a viabilidade das explorações, aumentar a produção, criar valor, melhorar a qualidade dos produtos, introduzir métodos e produtos inovadores e garantir a sustentabilidade ambiental da exploração. Estão de igual modo previstos apoios a investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas destinados a promover a renovação da estrutura produtiva agroindustrial, tendo em vista melhorar o desempenho competitivo das unidades industriais, através do aumento da produção, da criação de valor baseada no conhecimento, em processos e produtos inovadores, na melhoria da qualidade dos produtos, numa gestão eficiente dos recursos no uso de energias renováveis, garantindo a sustentabilidade das atividades económicas.

Principais tipologias de projeto

Jovens Agricultores;

Investimento na Exploração Agrícola;

Pequenos Investimentos nas Explorações Agrícolas;

Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas;

Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas.

Medida 4. Valorização dos Recursos Florestais

Apoio a investimentos que visam o aumento do valor dos produtos agroflorestais através da criação e modernização das empresas de transformação, adaptação às exigências ambientais, de segurança e prevenção de riscos, participação dos produtores agroflorestais, novos produtos, processos e tecnologias e processos de certificação e integração no mercado, numa gestão eficiente dos recursos e no uso de energias renováveis.

Principais tipologias de projeto

Investimentos em Produtos Florestais Identificados como Agrícolas;

Investimentos em Produtos Florestais não Identificados como Agrícolas;

Medida 5. Organização da Produção

Apoio à promoção da organização, através do apoio aos Agrupamentos e Organizações de Produtores como forma de fazer frente a um dos principais problemas estruturais do setor, contribuindo para aumentar a capacidade de gerar valor a montante e contrariar o desequilíbrio que se verifica na cadeia de valor.

Principais tipologias de projeto

Criação de Agrupamentos e Organizações de Produtores;

Interprofissionais;

Cooperação Empresarial.

Medida 8. Proteção e Reabilitação de Povoamentos Florestais

Apoio à florestação de terras agrícolas e não agrícolas, através de investimentos na instalação de zonas arborizadas com espécies bem adaptadas às condições locais; Apoio à criação de sistemas agroflorestais, nomeadamente montados e sistemas que combinam a silvicultura com práticas de agricultura extensiva; Apoio à prevenção, defesa da floresta e restabelecimento de povoamentos florestais afetados por agentes bióticos e abióticos e promoção de ações de estabilização de emergência pós incêndio, catástrofes naturais, ou acontecimentos catastróficos; Apoio à adaptação às alterações climáticas e mitigação dos seus efeitos; Apoio à promoção dos serviços de ecossistema (ar, água, solo e biodiversidade) e melhoria da provisão de bens públicos pelas florestas; Apoio à promoção da reabilitação de povoamentos identificados como estando em más condições vegetativas e potenciando riscos ambientais graves; Apoio a ações que visem aumentar o valor económico e a competitividade dos produtos florestais lenhosos e não lenhosos; Apoio a projetos destinados à melhoria do ordenamento dos recursos cinegéticos e dos recursos dulçaquícolas em espaços florestais.

Principais tipologias de projeto

Florestação de Terras Agrícolas e não Agrícolas;

Instalação de Sistemas Agroflorestais;

Prevenção da Floresta contra Agentes Bióticos e Abióticos;

Restabelecimento da Floresta Afetada por Agentes Bióticos e Abióticos ou por Acontecimentos Catastróficos;

Melhoria da Resiliência e do Valor Ambiental das Florestas;

Melhoria do Valor Económico das Florestas;

Gestão de Recursos cinegéticos;

Gestão de Recursos Aquícolas.

Medida 10. LEADER – DESENVOLVIMENTO LOCAL

Esta medida contempla os apoios previstos no âmbito do Desenvolvimento Local de Base Comunitária, composto por estratégias integradas e multissetoriais de desenvolvimento local, promovidas pelas comunidades locais para dar resposta - em simultâneo - às necessidades de desenvolvimento local e ao contributo específico que o sector agrícola e agroindustrial pode dar ao nível de intervenções de pequena dimensão com objetivos específicos de cariz local. Esta medida apoia pequenos investimentos nas explorações agrícolas, pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas, investimentos na diversificação de atividades na exploração para atividades não agrícolas, criação de circuitos curtos / cadeias curtas de distribuição / comercialização de proximidade de produtos agrícolas e transformados incluindo os abrangidos por regimes formais de diferenciação referentes a áreas de proteção da natureza, promoção de produtos de qualidade certificada e produtos locais, incluindo os abrangidos por regimes formais de diferenciação referentes a áreas de proteção da natureza, preservação, conservação e valorização dos elementos patrimoniais locais (paisagístico e ambiental, incluindo ações de sensibilização).

Principais tipologias de projeto

Pequenos investimentos nas explorações agrícolas;

Pequenos investimentos na transformação e comercialização;

Diversificação de atividades na exploração;

Cadeias curtas e mercados locais;

Promoção de produtos locais de qualidade;

Renovação de aldeias.

VITIS

Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão das Vinhas

O Programa de Apoio Nacional ao Setor Vitivinícola de Portugal (PAN) para o período 2014-2018 constitui um importante instrumento de apoio ao desenvolvimento do setor, através da promoção e aumento da sua competitividade. Este programa, cujo orçamento global é de 326 milhões de euros, mantem o apoio financeiro à medida de apoio à reestruturação e reconversão de vinha, entre outras.

No que se refere à medida de apoio à reestruturação e reconversão de vinhas, vulgarmente designada por VITIS, os apoios previstos são de 226 milhões euros (69% do envelope financeiro) e destinam-se a modernizar 17.500 hectares de vinha.

Constituem candidaturas elegíveis ao apoio do VITIS aquelas que visam: parcelas de vinha cuja categoria de utilização seja a produção de uvas para vinho que após a aplicação do regime de apoio satisfaçam as condições de produção de vinho com denominação de origem (DOP) e vinho com indicação geográfica (IGP); direitos de replantação; direitos de replantação obtidos por transferência e direitos de replantação atribuídos a partir da reserva do território do continente.

Os apoios concedidos no âmbito do programa VITIS abrangem: a reconversão varietal efetuada por replantação, sobreenxertia ou reenxertia; a relocalização de vinhas, efetuada por replantação noutro local e a melhoria das técnicas de gestão da vinha, efetuada através da alteração do sistema de viticultura.

O Regime de apoio é concretizado através das medidas específicas referentes à instalação da vinha e sobreenxertia ou reenxertia.

Candidatos

Pessoas singulares ou coletivas, de natureza privada ou pública, que exerçam ou venham a exercer a atividade de viticultor. Cumulativamente, o candidato tem que ser proprietário da parcela a plantar com vinha, ou detentor de título válido que confira o direito à sua exploração normal, pelo prazo mínimo de 5 anos após a campanha de plantação e respeitar as disposições de incidência ambiental previstas na legislação em vigor.

A candidatura pode ser constituída de forma individual ou conjunta (candidatura de grupo, agrupada ou de emparcelamento).

Limite, forma e taxas de apoio

No seguimento do Programa de Apoio Nacional anterior, os apoios do programa VITIS correspondem a um valor unitário por hectare, por m linear ou m3, no caso de melhoria das infraestruturas fundiárias, atribuído em função das características do projeto.

quero fazer uma candidatura ao Vitis

PAECPE

O Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) visa apoiar a criação de empresas e a criação do próprio emprego através das seguintes medidas:

Apoios à criação de empresas

Apoio à criação de empresas de pequena dimensão, com fins lucrativos, independentemente da respetiva forma jurídica.

Beneficiários

Inscritos nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional, numa das seguintes condições:

Desempregados inscritos há 9 meses ou menos, em situação de desemprego involuntário ou inscritos há mais de 9 meses, independentemente do motivo da inscrição;

Jovens à procura do 1.º emprego com idade entre os 18 e os 35 anos, inclusive, com o mínimo do ensino secundário completam ou nível 3 de qualificação ou a frequentar um processo de qualificação conducente à obtenção desse nível de ensino ou qualificação, e que não tenha tido contrato de trabalho sem termo;

Nunca tenham exercido atividade profissional por conta de outrem ou por conta própria;

Trabalhadores independentes cujo rendimento médio mensal, no último ano de atividade, seja inferior à retribuição mínima mensal garantida.

Apoios

Crédito ao investimento concedido por instituições bancárias, através de 2 linhas de crédito, e beneficia de garantia, no quadro do sistema de garantia mútua, e de bonificação de taxa de juro.

Linhas de Crédito Montantes Prazos Taxa de juro
Investimento Financiamento
INVEST + Superior a €20.000 e até €200.000 Até €100.000 2 Anos de carência de capital

Reembolso de 5 anos com prestações mensais (amortizações constantes de capital)

Euribor a 30 dias, acrescida de 0,25% com taxa mínima de 1,5% e máxima de 3,5%

(o 1.º ano de juros é integralmente bonificado e o 2.º e o 3.º ano são bonificados parcialmente pelo IEFP)

MICROINVEST Até €20.000 Até €20.000

Programa Nacional Microcrédito

Beneficiários

Pessoas com perfil empreendedor que tenham especiais dificuldades de acesso ao mercado de trabalho e estejam em risco de exclusão social e que apresentem projetos viáveis para criar postos de trabalho;

Microentidades e as cooperativas até 10 trabalhadores que apresentem projetos viáveis com criação líquida de postos de trabalho, em especial na área da economia social.

Apoios

Linha de Crédito ao investimento com garantia e bonificação de taxa de juro - MICROINVEST O crédito ao investimento é concedido pelas instituições de crédito ou pelas sociedades financeiras de microcrédito, através da linha de crédito MICROINVEST, beneficiando de bonificação de taxa de juro e de garantia, no quadro do sistema de garantia mútua.

Linhas de Crédito Montantes Prazos Taxa de juro
Investimento Financiamento
MICROINVEST Até €20.000 Até €20.000 2 Anos de carência de capital

Reembolso de 5 anos com prestações mensais (amortizações constantes de capital)

Euribor a 30 dias, acrescida de 0,25% com taxa mínima de 1,5% e máxima de 3,5%

(o 1.º ano de juros é integralmente bonificado e o 2.º e o 3.º ano são bonificados parcialmente pelo IEFP)

Apoios à Criação do Próprio Emprego por Beneficiários de Prestações de Desemprego

Beneficiários

Beneficiários das prestações de desemprego que apresentem um projeto que origine a criação do seu emprego a tempo inteiro.

Apoios

Pagamento, total ou parcial, do montante global das prestações de desemprego, deduzido das importâncias eventualmente já recebidas e possibilidade de cumulação com a modalidade de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro (linhas MICROINVEST E INVEST+)

Linhas de Crédito Montantes Prazos Taxa de juro
Investimento Financiamento
INVEST + Superior a €20.000 e até €200.000 Até €100.000 2 Anos de carência de capital

Reembolso de 5 anos com prestações mensais (amortizações constantes de capital)

Euribor a 30 dias, acrescida de 0,25% com taxa mínima de 1,5% e máxima de 3,5%

(o 1.º ano de juros é integralmente bonificado e o 2.º e o 3.º ano são bonificados parcialmente pelo IEFP)

MICROINVEST Até €20.000 Até €20.000

quero fazer uma candidatura ao PAECPE

PME Crescimento

As Linhas de Crédito PME Crescimento têm por objetivo facilitar às PME’s o acesso ao crédito bancário, nomeadamente através do recurso aos mecanismos de Garantia do Sistema Nacional de Garantia Mútua, que permitem a redução do risco das operações bancárias.

Clique para saber mais (site iapmei.pt)

quero fazer uma candidatura ao PME Crescimento

setores com que trabalhamos

indústria

comércio e serviços

turismo

agricultura e floresta

Consultoria empresarial Consultoria Industrial Consultoria e elaboração de projetos de licenciamento industrial Consultoria financeira e consultoria económica Consultoria em Internacionalização Consultoria em Qualidade, Ambiente e SHT

Elaboração de candidaturas a sistemas de incentivos ao investimento e emprego Elaboração de projetos de investimento e de criação de empresas Elaboração de candidaturas a incentivos Portugal 2020 Elaboração de candidaturas a incentivos PDR 2020 Acompanhamento de candidaturas e de projetos de investimento

Apoios a jovens agricultores Apoios à floresta Incentivos fiscais Estudos de mercado e marketing Formação Profissional e Recursos Humanos Planeamento e consultoria de alta direção Apoio à produção, transformação e comercialização agrícolas

Elaboramos candidaturas ao sistema de incentivos Portugal 2020, assim como a apoios ao investimento a fundo perdido e reembolsável, nas medidas: Inovação Produtiva, Empreendedorismo Qualificado e Criativo, Internacionalização, Qualificação, Formação e Vales, nos setores do turismo, indústria, comércio e serviços.

Elaboramos candidaturas ao sistema de incentivos PDR 2020, MAR 2020 e VITIS, de apoio ao investimento a fundo perdido (não reembolsável) e destinados a: Produção Agrícola (jovens agricultores, entre outros), Agro-Indústria, Apoios à Floresta e a Empresas do setor florestal, vinha, desenvolvimento local (turismo: animação turística e alojamento) e Vales.

© 2017 - Licentivos, Lda.

Morada

Rua António Cândido Pinto, Nº 32,
Fraião, 4715-400 Braga

Coordenadas GPS

N 41° 32' 26.1486" W -8° 24' 18.2088"

Horário

Seg a Sex 09h00m - 13h00m 14h00m - 18h00m

Redes Sociais


Telefone

253 618 791

Fax

253 273 231